Natural Cotton Color: parcerias ampliam a moda sustentável com algodão colorido da Paraíba

organic-colored-cotton

O segundo semestre de 2019 está movimentado para a Natural Cotton Colormoda sustentável. No início do mês Francisca Vieira, CEO da marca, participou em João Pessoa da Reunião do Comitê Gestor do Arranjo Produtivo Local de Confecções e Artefatos de Algodão Colorido do Estado da Paraíba.

Na ocasião, algumas informações da marca foram divulgadas para os membros do Comitê. O objetivo está em gerar demanda. Ou seja, garantir que o mercado dê sustentabilidade aos envolvidos na cadeia produtiva.

Comite Gestor APL Algodao Colorido

Nesta reunião, pela primeira vez o Comitê Gestor APL Algodão Colorido recebeu a Textile Exchange e o presidente da Cinep. O Comitê Gestor integra empresários, produtores e suas organizações e os conecta com instituições de apoio, como a Embrapa, FIEP, Senai, Sebrae, Conab, bancos públicos e privados, além da ABIT, que gerencia o programa de internacionalização TEXBrasil. Participam também do comitê associação de artesãs Renasci e de agricultores de Juarez Távora e de Campos, cidades do sertão da Paraíba, onde a cultura do algodão colorido é feito com contrato de compra garantida e têm certificado de produto orgânico.

Inovação nas malhas e tecidos de algodão colorido orgânico

Com sementes desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa Algodão, a Natural Cotton Color colhe, em parceria com agricultores familiares, o algodão da Paraíba — que já nasce colorido. O alongamento da fibra com capacidade para fazer fios mais finos é resultado de cerca de duas décadas de pesquisas da instituição.

Depois de 15 anos produzindo moda com malhas de algodão ecológico, a Natural Cotton Color desenvolveu novos fios. Um deles é o fio 30 com torção para tecido plano e fio 30 com torção malharia. Desta forma, apresentou ao mercado a viabilidade de projetos de alta costura para a expansão da moda sustentável no Brasil.

Outra inovação são os fios de algodão colorido com a seda pura. O projeto, ainda em andamento, é resultado da parceria com a Bratac, uma empresa 100% brasileira com plantas industriais em Londrina, PR, e em Bastos, SP. Trata-se da única produtora de fios de seda em escala comercial do Ocidente. Seus fios são considerados os melhores do mundo, por isso abastecem as principais marcas de luxo do planeta. A francesa Hermès só usa fios da Bratac nos seus clássicos lenços de seda.

O diretor presidente da empresa, Shigueru Taniguti Junior, também comenta o projeto. “A Bratac trabalha com uma fibra nobre e natural, a seda, desde 1940. Em um processo contínuo de melhoria (Kaizen), buscamos formas e parcerias para que nosso negócio seja cada dia mais sustentável criando elos com empresas que tenham os mesmos ideais e propósitos. Para a Bratac é um grande orgulho iniciar uma parceria com a Natural Cotton Color, que combinando as vantagens das duas fibras naturais proporcionarão aos consumidores um produto natural, sustentável agregando valor não somente ao produto, mas principalmente uma experiência única a estes consumidores”.

“É uma honra desenvolver fios com a Bratac que é uma empresa fornecedora das maiores marcas de moda. Destaco que a parceria só foi possível graças à ponte feita entre a consultora de moda e mercado Geni Ródio Ribeiro com a Associação Brasileira da Seda – Abraseda”, diz Francisca Vieira, CEO da Natural Cotton Color.

 

Abraseda – Institucional from IRRA Studio on Vimeo.

Por meio do Instituto SENAI de Tecnologia Têxtil e Confecção, localizado em João Pessoa, a Natural Cotton Color também está desenvolvendo novos tecidos com lançamento agendado para novembro de 2019 em sua própria coleção. Os tecidos ainda estão em processo de requisição de patente, por isso, trata-se ainda de informação confidencial.

Para Rafael Lemos, designer de moda da instituição – cedido em apoio à marca como co-autor da coleção Natural Cotton Color –, os novos tecidos em algodão colorido orgânico produzidos em escala industrial devem ampliar a demanda em diferentes mercados e manufaturas porque garantem maior flexibilidade no uso. “Em nosso desenvolvimento, ao criar uma peça para a Natural Cotton Color, pensamos em um produto global respeitando os critérios da cadeia produtiva e do artesanato local. Concebemos assim um produto de moda atemporal para atender às exigências do mercado da moda sustentável internacional. Conjugamos design e tecnologia com responsabilidade social”, diz.

Outra parceria para inovação é um projeto da Natural Cotton Color aprovado pelo Instituto Federal da Paraíba – IFPB para desenvolver a produção do algodão mocó no Estado. “O algodão mocó pode ser de grande potencial econômico para a região já que a fibra pode resultar em um fio longo e de qualidade como o fio egípcio”, afirma Francisca.

Francisca Vieira e projeto de algodão colorido

Entre os informes de Francisca Vieira, CEO da Natural Cotton Color, está a aprovação do projeto de desenvolvimento do algodão mocó com o IFPB. A espécie da região Nordeste tem fio tão longo quanto o  cobiçado algodão egípcio.

Distribuição e visibilidade em feiras e eventos internacionais

A Natural Cotton Color vai participar de duas importantes feiras de moda em setembro. Uma delas é a Whos Next que lançou o salão Impact com destaque para a Moda Sustentável. Para esta apresentação, estarão reunidas as marcas Juliana Gevaerd Bio (tricô de máquina com fios de algodão colorido) e a Antique & Chique (marca feminina com roupas em malha e tecido plano de algodão colorido orgânico da Paraíba). Além de uma coleção especial de acessórios desenvolvida pela designer de joias Paula Boldrini da Minha Maison de Joias. Para este evento, contamos com o apoio da Associação Brasileira de Estilistas – ABEST.

Também em setembro, a Natural Cotton Color participa da Premiére Vision Paris no salão Smart Creation e vai exibir as novas malhas em algodão colorido orgânico desenvolvidas pela Unitextil. A exibição dos produtos na principal feira de moda do mundo é via TexBrasil, programa de internacionalização da Agência Brasileira de Promoção de Exportações (Apex-Brasil) gerido pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil e da Confecção (ABIT).

A novidade desta edição é a participação da Ecosimple – Tecidos Sustentáveis, novo parceiro que apresenta pela primeira vez na Première Vision Paris seus tecidos inovadores e uma coleção desenvolvida com o algodão colorido orgânico da Paraíba. A indústria têxtil com sede em Americana, SP, e loja na capital paulista, produz tecidos para os segmentos de confecção de moda, calçados, estofamento de móveis e decoração em geral. “A parceria com a Natural Cotton Color ocorre em um ótimo momento, onde todo o mercado da moda esta voltado para a sustentabilidade. A parceria alia duas empresas pioneiras que fazem um trabalho sério, comprometido e mostraremos para o mundo o quanto é relevante a indústria sustentável do Brasil”. A Ecosimple leva para a feira tecidos com diversas misturas de listras e desenhos, cambraias entre outras bases comerciais.

Desenvolvimento de novos produtos com design artesanal 

Em novembro a Natural Cotton Color realiza desfile na Brasil Eco Fashion Week, em São Paulo. O desfile da marca tem apoio da Círculo S/A e parcerias de Paula Boldrini (Minha Maison de Joias) e Trópicca (calçados). De acordo com Rafael Morais, organizador da semana de moda sustentável, “a Natural Cotton Color se destaca não apenas como marca de moda, mas como fomentadora de projetos de ampliação da agricultura familiar, do cultivo do algodão orgânico e fortalecimento da cadeia de valor em arranjos produtivos locais que priorizam esta nobre fibra”.

befw evento de moda sustentavel

Natural Cotton Color realiza desfile na maior plataforma de moda sustentável é um evento anual, em São Paulo.

As linhas fornecidas pela Círculo S/A serão usadas para as peças artesanais desenvolvidas com a Associação das Rendeiras do Cariri Paraibano (Renasci) da nova coleção. A mestre rendeira e presidente da entidade, Marlene Leopoldino, que também faz parte do Comitê Gestor, explica que, com incentivo da Natural Cotton Color, desenvolveu uma técnica em que os pontos da renda renascença são realizados diretamente sobre o tecido de algodão colorido. “Neste trabalho, as rendeiras ganham pela hora trabalhada. Desta forma é mais rentável porque é muito mais rápido. Com a renda comum o trabalho era lento e o pagamento era por rolo de linha”, diz.

Para a produção das biojoias, Paula Boldrini esteve em agosto na Paraíba para treinar os artesãos que vão desenvolver as peças para o desfile. De acordo com a designer, a parceria Minha Maison de Joias com a Natural Cotton Color terá duas vertentes. “Estamos criando as biojoias mais conceituais para o desfile do Brasil Eco Fashion Week, onde resgato uma pesquisa que iniciei em 2004 e tem muita relação com as nossas perspectivas que se convergem – o tecer, o metal, o algodão colorido orgânico da Paraíba, o respeito com as pessoas que se envolvem nos nossos negócios, o cuidado com a matéria-prima, a relação com a pele, o aperto de mãos de quem faz um acordo verdadeiro. Também estamos criando uma coleção de biojoias para comercializar nacionalmente e talvez internacionalmente”, revelou.

Sabrina Freire, executiva da Trópicca, está criando em São Paulo os calçados para o desfile da Natural Cotton Color e comemora a parceria: “o algodão colorido da Paraíba é um orgulho nacional. Um ótimo exemplo de pesquisa, desenvolvimento e empenho. É uma honra desenvolver acessórios para o desfile da marca na Brasil Eco Fashion Week”.

Certificação para atender às exigências da demanda do mercado e fortalecer a agricultura 

O Sebrae – PB está desenvolvendo um projeto de apoio à cadeia produtiva do algodão colorido junto com a Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep) e a Secretaria de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido (SEAFDS) e a Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer).

O algodão colorido orgânico da Paraíba usado pela Natural Cotton Color é certificado pela Ecocert. O objetivo do projeto é garantir que todo trabalhador do campo com manejo de agricultura orgânica tenha o seu próprio certificado.

Alguns trabalhadores do Assentamento Campos em Salgado de São Félix – PB com os técnicos Embrapa e Emater e Francisca Vieira, da Natural Cotton Color, no dia da gravação de reportagem para o programa FashionTV.

 

Colheita do algodão colorido orgânico em Juarez Távora – PB.

 

RelatedPost

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *